O Ave Migratória

Assim como as aves migratórias precisam percorrer longas distâncias para garantir a sua sobrevivência, nós, seres humanos, precisamos viajar, conhecer culturas, lugares e pessoas diferentes. Desta forma teremos maiores possibilidades de rever nossos valores e crenças. Ave Migratória, viagens, cultura, lugares, pessoas e arte do Brasil e do mundo.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Jaipur

Jaipur é uma cidade grande e em conseqüência disso, com muito trânsito e muita gente nas ruas.

A cidade rosa, uma parte da cidade onde todas as construções são desta cor, é muito bonita. No centro comercial muita gente, lojas de tecido e milhares de bancas de frutas nas ruas davam um colorido ainda mais especial. As ruas de Jaipur parecem um mercado a céu aberto.

Mais uma vez começamos a maratona pelos pontos turísticos da cidade:

Jal Mahal
Palácio pequeno, mas muito bonito, foi construído no meio do lago Man Sagar. Na época das monções, quando as chuvas são intensas, o lago fica completamente cheio e faz com que o palácio pareça estar flutuando sobre a água.

Na margem do lago tem um belo calçadão onde pessoas caminham, deitam na grama para tirar um cochilo, fazem passeios de camelo além de muitos vendedores que vendem de tudo que você pode imaginar.


Camelos enfeitados para passeio.




Vendedora de pães no calçadão do lago Man Sagar.
Hawa Mahal ou Palácio os Ventos
Símbolo da cidade, o Haw Mahal era parte do harém de um príncipe que o construiu desta forma para permitir que as mulheres observassem o movimento da rua sem serem notadas. Seus cinco andares com as janelas todas de tela dá à impressão de ser uma enorme coroa.



Próximo ao Haw Mahal se vê inúmeros encantadores de serpentes. Alguns dizem que eles colocam urina de rato na ponta da flauta ou que o calor é que faz com que elas saem do balaio extremamente pequeno assim que retiram a tampa. Esta foto foi tirada de longe pois se eles perceberem que estão sendo fotografados logo pedem dinheiro pela fotinha.




Amber Forte
O Amber Forte é um dos mais bonitos da Índia. Estava ansioso para visitá-lo pois lá é possível se ver os elefantes indianos. Como o forte se localiza no alto de um monte, é preciso subir uma enorme escada para se chegar até ele. O tempo médio para chegar até o portão do forte pelas escadas é de 10 a 15 minutos dependendo do condicionamento físico. Os elefantes gastam uma média de 40 minutos para fazer o mesmo caminho e nesse tempo você fica cozinhando os miolos sob um sol de quase 50 graus. Por isso desistimos de fazer o passeio.





Para se fazer o passeio de elefantes é preciso visitar o forte antes das 10h. Após este horário o calor prejudica a saúde dos elefantes e por isso todos eles são recolhidos. Os elefantes são lindos e todos enfeitados como usualmente fazem para uma um festival que acontece na cidade.






Quando cheguei ao portão principal do forte fiquei anestesiado com tanta beleza. O forte é lindo e extremamente bem cuidado. Como ele é imenso, para visitar todos os salões é bom ter um mapa para não se perder. No pátio é possível contratar um guia, mas eles não cobram muito barato por isso.




As cores, as pilastras, as escadarias e os jardins do forte impressionam pela beleza e pela riqueza de detalhes.


Ao entrar em um dos salões do forte ouvimos um barulho esquisito e quando descobrimos vimos que o tal barulho era do antigo poço de água, hoje abrigo de muitos... muitos morcegos.


Outro salão do forte que impressiona pela beleza é o Sheesh Mahal, salão todo entalhado de espelhos para que com uma única vela ela pudesse ser todo iluminado. Os espelhos estão em toda parte do salão nos detalhes de estrelas no teto e florais nas pilastras e paredes.





Do ponto mais alto do forte se tem uma vista privilegiada do Kesar Kyari Bagh, um jardim no meio do lago que tem a origem do seu nome nas flores de açafrão que eram plantadas nos canteiros em formato de estrela. Quando visitamos o forte, por ser verão na índia e um períod0o sem chuvas, o lago estava completamente seco.




O Amber Forte é um lugar de Jaipur que com certeza não pode deixar de ser visitado. Prepare-se para os vendedores ambulantes que estão concentrados na entrada do forte porque eles são muito insistentes. Não deixe que a insistência deles desvie a sua atenção das maravilhas que o forte possui.

Jantar Matar
Jantar Matar é o maior dos cinco observatórios indianos e o mais conservado. Os instrumentos astronômicos são lindos e enormes.

Laghu Samrat Yantra – relégio de sol pequeno que calcula a hora local com até 20 segundos de precisão.

O guia nos informou que eram 11h22 e eu, como todo turista faria, fui conferir.

Narivalaya Yantra – relógio de sol que calcula o tempo representando os dois hemisférios acompanhando a trajetória solar.


Jai Prakash Yantra – Mapa dos hemisférios cavados no chão que mapeiam o céu. Através dele se descobria a posição do planeta de acordo com a posição do sol.


Samrat Yantra – Maior relógio do sol do mundo, com 23m de altura que além de mais preciso previa as perspectivas para a colheita do ano.


Não se pode deixar de visitar o Jantar Matar em Jaipur. Todos os observatórios da Índia são muito parecidos, pois foram todos criados por Jai Singh, no entanto, o de Jaipur é o maior e mais conservado. Depois de conhecermos o Jantar Matar fomos a um restaurante local para almoçar. O restaurante era muito sujo, como a maioria dos restaurantes locais da Índia, mas a comida estava maravilhosa.

De sobremesa, fomos saborear um verdadeiro lassi, bebida indiana a base de iogurte natural e polpa de frutas.


Chegando ao local onde se vendia o lassi mais famoso de Jaipur mais uma surpresa, o copo descartável na Índia é feito de barro. Muito mais ecológico que o nosso, ao lado do local onde se vendia o lassi tinha um cômodo pequeno onde os copos eram feitos. A cada fornada de copos eles eram imersos em água para esfriar e estavam prontos para serem utilizados.

Depois do melhor lassi que já tomei na vida fomos dar uma volta no centro da cidade para depois irmos para o hotel ter um merecido descanso, pois no dia seguinte seguiremos para Agra, a cidade do Taj Mahal.

Um comentário:

Tagianny disse...

amei tudo nesse relato. vou na india um dia e é bom saber os lugares legais..vou add com certeza...acompanharei sua tragetoria.
e parabens...
Jesus te abençoe nas viagens e te guarde do mal.